FAQ E LINHAS DE ORIENTAÇÃO2019-01-12T17:28:22+00:00

FAQ E LINHAS DE ORIENTAÇÃO

Esta secção contém uma série de questões frequentemente colocadas e linhas de orientação gerais para ajudar os profissionais interessados em implementar com sucesso a formação IPA+ de uma forma autónoma e independente.

A informação aqui contida baseia-se na experiência adquirida pelas entidades responsáveis pelos cursos, no âmbito do projeto IPA+. Estas linhas de orientação integram uma abordagem com base na evidência e com um claro fim prático.

Quanto tempo leva a concluir os cursos?

Ambos os cursos foram definidos para uma implementação de três meses, com uma dedicação/compromisso de 8 horas por semana da parte dos formandos. No entanto, a duração pode ser alargada ou condensada de acordo com as necessidades de formadores e formandos, se necessário.

O que é necessário para implementar os cursos?

Para implementar os cursos IPA+, é necessário tomar em consideração diferentes tipos de recursos:

  • Recursos humanos:O número de membros do staff envolvidos na formação para orientação dos formandos no caso de eventuais questões e em atividades no quadro de módulos, depende, evidentemente, do número de formandos a participar em cada curso. Considerando o exemplo das sessões de cursos piloto IPA+, dois formadores estiveram envolvidos em Burgos (um para cada nível); dois formadores e um administrativo em Lisboa; e um coordenador responsável pela aceitação e tratamento de candidaturas e pelo lado técnico do projeto (plataforma MOODLE) e três mentores representando um setor colaborativo (educação, saúde, assistência social) em Belgrado.
  • Recursos técnicos:Pelo menos dois computadores com ligação à Internet são necessários para permitir aos formadores o acesso à plataforma MOODLE. Aí, são apresentados e monitorizados conteúdos de formação e materiais. A disponibilidade de uma sala com projetor é igualmente necessária para realizar sessões presenciais.
  • Tempo investido: Grande parte dos esforços é investida na preparação dos cursos. Antes do lançamento, os formadores investem cerca de 20 horas na organização do curso, incluindo tarefas relacionadas com o recrutamento de formandos e com o carregamento dos materiais na plataforma MOODLE. Uma vez a decorrer, o tempo depende do conteúdo específico e das atividades de cada módulo. Aproximadamente, os formadores investem cerca de 3-4 horas por semana

A quem se destina o curso?

Os cursos IPA+ são dirigidos a profissionais interessados em trabalhar no domínio do autismo, abrangendo um vasto leque de perfis profissionais. Por um lado, o “Curso Básico” de Nível I oferece uma abordagem abrangente do autismo e destina-se a profissionais sem experiência prévia e/ou formação nesta área. Por outro lado, o “Curso Avançado” de Nível II é dirigido a profissionais com prévia experiência prática em autismo, que pretendam alargar e atualizar os seus conhecimentos.

Qual deve ser o perfil dos formadores?

Recomenda-se que os formadores dos cursos IPA+ possuam as seguintes competências:

  • Experiência prévia de prestação de formação em autismo;
  • Vasta experiência prévia no trabalho com pessoas do espectro do autismo;
  • Experiência prévia como formador, com competências relacionadas com comunicação, resolução de conflitos, gestão de estudantes, correção de atividades, etc.;
  • Conhecimentos básicos de computador;

Conhecimento das seguintes plataformas e-Learning: MOOC, MOODLE, etc.

Quanto tempo é investido pelos formandos?

Cada nível foi definido para se estender por um número específico de horas: entre 47-72 horas para o Nível I e 51-96 horas para o Nível II. Um número recomendado de horas é igualmente sugerido dedicar a cada módulo, no início do curso (aproximadamente, entre 6 e 8 horas por semana). Depois de experimentarem o curso, os formandos fornecem feedback sobre a distribuição de tempo nos módulos. No geral, a distribuição do tempo foi apropriada em relação à quantidade de conteúdo e atividades que eram exigidas.

Como promover a comunicação entre formadores e formandos?

Os meios e ferramentas usados para encorajar a comunicação entre os diferentes atores envolvidos na formação são os seguintes:

  • Entre Formador e Formando: A comunicação tem lugar via fórum MOODLE (no caso de um formando ter uma questão a resolver, podendo beneficiar igualmente do contributo de outros formandos), mensagem direta na plataforma (quando é necessária uma mensagem privada sobre um assunto específico) ou comunicação direta por e-mail, referente a um tópico específico ou atividade no quadro de um módulo. Os formandos enviam as atividades concluídas ao seu formador atribuído, que as revê e fornece feedback. Adicionalmente, a comunicação foi encorajada graças a sessões presenciais ou conferências por Skype, quando necessário.
  • Entre Formador e Formador: A coordenação regular tem lugar via e-mail e reuniões de equipa, bem como por telefone ou Skype. Os registos sobre formandos, conclusão de curso e dados estatísticos são partilhados via e-mail. As reuniões de equipa são realizadas para partilhar ideias sobre possíveis áreas de melhoramento ou acordar conteúdo e tópicos para eventos presenciais.
  • Entre Formando e Formando: A comunicação entre pares tem lugar através do MOODLE e sessões presenciais promovendo atividades de grupo. No entanto, esta é uma área que requer aperfeiçoamento. Até agora, os formandos tinham a oportunidade de comunicar via plataforma (através de mensagem direta ou mensagens no fórum). Contudo, por alguma razão, faltava-lhes iniciativa. Recomenda-se encorajar os formandos a apresentarem-se a eles próprios na plataforma, carregando um breve CV. O que pode ser útil para saberem quem contactar sobre situações específicas. Poderia ser igualmente vantajoso agrupar os formandos em pares, para que um formando sem experiência pudesse consultar um formando com alguma experiência prévia.

Quais são as maiores dificuldades encontradas na implementação dos cursos? Como podem essas dificuldades ser colmatadas?

Problema: Falta de competências tecnológicas por parte de formandos e formadores. Embora o MOODLE seja fácil de usar, alguns formandos e formadores tiveram dificuldade em usar a plataforma corretamente.

Solução: Disponibilizar formação prévia a formadores e formandos sobre o uso da plataforma via tutoriais online, um consultor especializado ou mesmo permitindo aos formandos enviar as atividades via e-mail.


Problema: Prazos apertados para terminar as atividades dos módulos.

Solução: Alargar os prazos para facilitar o cumprimento por parte dos formandos, fazer um seguimento individualizado adaptado às necessidades de cada formandos (o que só é possível se não houver muitos formandos ou apenas em casos particulares) ou disponibilizar os módulos completos no MOODLE, de início, para permitir aos formandos organizar o trabalho de acordo com as suas necessidades, embora se recomende a definição de prazos aproximados como referência.


Problema: Alguns formandos não concluíram o curso.

Solução: Reduzir a taxa de abandono solicitando um compromisso ou monitorizando a atividade mais de perto.


Problema: Segundo o feedback dado pelos formandos, o curso impunha muito trabalho e era muito exigente em termos de tempo e esforço.

Solução: Baixar o nível de exigência: e.g. atividades mais curtas.


Problema: Falta de tempo para dar feedback aos formandos após a entrega das atividades.

Solução: Reduzir o nível de exigência ou alargar os prazos.


Problema: Compreensão insuficiente das atividades em relação ao que se exige exatamente e de que forma.

Solução: Definir mais precisamente como deve ser feita uma atividade particular. Determinar, aproximadamente, o âmbito e forma do material a ser preparado pelos formandos.


Problema: Não ajustamento de conteúdo individual a um contexto local.

Solução: Adaptar o conteúdo das atividades individuais ao contexto local (exceto na tradução, em alguns casos, é necessária adaptação do texto).


Problema: Dificuldades no uso de materiais em línguas estrangeiras. Os materiais obrigatórios foram traduzidos, mas os materiais complementares foram propostos em línguas estrangeiras.

Solução: Produzir material adicional selecionado na língua dos participantes na formação.


Problema: Necessidade de clarificação adicional de conteúdo individual.

Solução: Fornecer explicações adicionais gravando uma aula expositiva ou apresentação alargada de slides, uma vez que algum conteúdo pode ser difícil de entender fora de contexto.


Problema: Falta de definição de critérios para corrigir e avaliar atividades teórico-práticas.

Solução: Definir critérios de avaliação para cada atividade e incluí-los em linhas de orientação da aprendizagem.

Aprendizagens efetuadas