La Fedération Portugaise de l’autisme (FPDA)2019-01-23T17:59:33+00:00

Project Description

La Fedération Portugaise de l’autisme (FPDA)

PORTUGAL

La FDPA, la Fédération portugaise de l’autisme, est une ONG de représentation des personnes handicapées sans but lucratif. Enregistrée conformément à la législation portugaise en 2003/2004, elle remplace une ancienne ONG nationale fondée en 1971. Le FPDA regroupe 12 ONG à travers tout le pays et dans les îles.

Le FPDA dépend de l’Institut national de réadaptation (INR,I. P), qui appartient au Ministère des affaires sociales. Les statuts du FPDA sont approuvés par le ministère des Affaires sociales et enregistrés au Portal da Justiça (Plate-forme du ministère de la Justice).

Les responsables de la FPDA sont : le Congrès (c’est le nom donné à l’Assemblée générale) qui élit tous les 4 ans le Conseil exécutif et le Conseil financier parmi ses membres.

Les membres du Congrès sont les délégués élus des 12 associations membres de la FPDA.

Les cinq membres du Conseil exécutif dirigent la fédération et soumet les rapports et les programmes au ministère des Affaires sociales après leur approbation par le Congrès.

Le Conseil financier rédige un aperçu de l’administration du Conseil exécutif et le soumet avec les rapports.

Personnel impliqué dans le projet

Isabel Cottinelli
Isabel CottinelliPresidente da Federação Portuguesa de Autismo e antiga Presidente da APPDA-Lisboa
Vice-Presidente do Autism-Europe durante 18 anos e antiga Presidente da APPDA-Lisboa; membro da Direção da CNOD (Confederação Nacional dos Organismos de Deficiência) e membro do CMIPD (Conselho Municipal para a Inclusão das Pessoas com Deficiência); membro da Comissão de Acompanhamento e Avaliação dos Centros de Recursos para a Inclusão (CRI) do Ministério da Educação e membro da Comissão de Políticas de Inclusão das Pessoas com Deficiência (Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social).
Mestrado em Educação (Boston University) e PhD em Arquitetura (Universidade de Lisboa).
Professora em Cursos de pós-graduação na Universidade Nova, Universidade dos Açores, Universidade do Porto e Escola Superior de Educação de Setúbal.
Seminários em Portugal, França, Itália, UK, USA (New York University) e em Cabo Verde.
Antiga editora do LINK Magazine e Autism: Research and Practice (Sage Publications).
Publicações em Português, Francês e Inglês.
Condecoração pelo Presidente da República Portuguesa: Grande Cavaleiro da Ordem da Instrução Pública.
Inês Neto
Inês NetoPsychomotricienne et intervenante
É licenciada em Reabilitação Psicomotora pela Faculdade de Motricidade Humana (2007).
Completou o Estágio Curricular no Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa na enfermaria das doenças crónicas de homens entre os 18 e os 75 anos, com diagnóstico heterogéneo (esquizofrenia, perturbação bipolar, perturbação do espetro do autismo, oligofrenia, etc).
Desde 2007 tem trabalhado na Unidade de Treino Vocacional do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa como professora dos módulos “Desporto e Lazer” e “Estratégias para a Participação Social Ativa”. Esta Unidade de Treino é destinada às pessoas que têm um historial e que estão a tentar voltar à vida independente e entrar no mercado de trabalho.
Tem trabalhado na Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo de Lisboa (APPDA-Lisboa) desde Abril de 2008, tendo começado a sua carreira como Psicomotricista no Centro de Atividades Ocupacionais em Setembro de 2008 e, desde aí, tem trabalhado principalmente em escolas integrando o Centro de Recursos para a Inclusão (CRI) da APPDA-Lisboa, fazendo o diagnóstico a crianças e jovens desde os 6 aos 18 anos Perturbação do Espetro de Autismo.
Durante os anos da sua carreira participou como oradora em vários seminários na APPDA-Lisboa, na Federação Portuguesa de Autismo e na APPDA-Setúbal.
Rita Serpa Soares
Rita Serpa SoaresPsychologue clinicienne
Rita Soares é especializada na avaliação e intervenção clínica nas perturbações do neurodesenvolvimento e na perturbação do espectro do autismo (PEA). Tem ampla experiência clínica, também em contextos de inclusão, nomeadamente na escola e no mercado de trabalho.
Tem trabalhado na formação de professores, outros profissionais e famílias e colabora com prestigiadas instituições da área da educação e da saúde.
Participou em vários projetos e experiências de trabalho nacionais e europeias.
Foi consultora e formadora em diferentes unidades e organizações para pessoas com incapacidade (ex.: Açores; Bruxelas; Macau, China).
Coordena serviços clínicos e diferentes projetos de inclusão e foi diretora pedagógica da Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento